Pular para o conteúdo principal

Origem e a receita original do TIRAMISÙ

cultura gastronômica

Cultura gastronômica: Tiramisù

Levante a mão quem aqui adora Tiramisù! Mas você sabe qual é a sua origem?

De acordo com os sites italianos, Academia del Tiramisù e L'arte del Tiramisù, apontam que sua história é disputada entre três regiões italianas, Toscana, Veneto e Piemonte, sendo que todas elas descrevem a origem dessa delícia gastronômica.

Várias versões...

Toscana

A lenda mais conhecida da Toscana, século XVII, conta que a sobremesa foi inventada em homenagem ao Grão-duque Cosimo III de'Medici quando ocorreu a sua mudança para Siena. Com ingredientes e preparo simples, a iguaria foi considerada suntuosa e deliciosa e ficou conhecida na época como sopa do duque, se espalhando rapidamente pela corte. O nome atual vem do "che ti tira su" (que te faz levantar) por ser reconhecido pelas poderosas propriedades afrodisíacas.

Piemonte

Outra lenda conta que o Conde de Cavour, Camilo Benso, foi severamente provado por tentar reunificar a Itália e, como apoio moral ao político, um chefe confeiteiro de Turin, em Piemonte, criou a sobremesa para animar e levantar a moral do conde.

Veneto

Já a versão famosa de Veneto, diz que o doce foi inventado em Treviso na segunda metade do século XVIII. Uma tradição verbal local conta que teria sido criado por uma brilhante "maitresse" de uma casa de prazer localizada no centro histórico da cidade. A dona inventou este doce afrodisíaco e revigorante para oferecê-lo aos seus clientes no final da noite a fim de revigorá-los e resolver os problemas relacionados com os deveres conjugais na hora de seu retorno para a família.

O doce original não incluía álcool por causa das crianças

Alguns aspectos peculiares transmitidos oralmente atestam de forma inconfundível a origem veneziana da sobremesa. A receita deriva da "sbatudin" uma mistura de gema de ovo batida com açúcar, comumente usada pelas famílias de camponeses de Treviso como tônico ou para recém-casados. A isso foi adicionado mascarpone, café e cacau. Familiares se lembram de ter desfrutado desde que eram crianças antes da última guerra mundial. O Tiramisù de hoje é uma evolução da tradição local de Treviso: a receita tradicional não contém licor e por isso é também uma sobremesa para crianças.
 
De acordo com o escritor Giovanni Comisso, dois restaurantes contribuíram para a difusão da sobremesa (ambos em Treviso): o primeiro que legitimou a receita original, na segunda metade do século XX, foi o "Le Beccherie" e depois o "Toulà" de Alfredo Beltrame com sua rede de restaurantes na Itália e no exterior.

A receita

Chega de "conversa" e vamos para a receita original? Peguei em outro site italiano, Tiramisù World Cup, e ainda quero comparar com a receita que Jamie Oliver faz (que é di-vi-no!) para ver qual é melhor!

Ingredientes para 4 porções: 

  • 3 ovos frescos médios
  • 250 gramas de queijo mascarpone
  • 125 gramas de açúcar
  • 20 bolacha "champanhe" (ou inglês Ladyfingers)
  • Café
  • Cacau em pó amargo para decorar

Modo de fazer

Prepare o café e deixe esfriar em uma tigela. Bata as 3 gemas com o açúcar, em seguida adicione o mascarpone obtendo um creme macio. Para obter um creme mais liso, adicione a gosto as 3 claras em neve. Mergulhe 10 bolachas no café, prestando atenção para não encharcá-las, e arrume-as em uma linha no meio de um prato. Espalhe metade do creme sobre as bolachas e, em seguida, faça outra camada com as outras 10 mergulhadas em café. Espalhe o creme de mascarpone restante sobre elas. Polvilhe o creme com o cacau em pó usando uma peneira.

Harmonização

E antes de finalizar esse post delicioso, para uma eno-harmonização Made in Heaven o vinho precisa ter potencial aromático, boa densidade e acidez equilibrada, e por isso os fortificados acompanham bem esta sobremesa. Os moscatéis por causa do chocolate, os Portos Tawny (10 - 20 anos) pelos aromas empireumáticos de café e cacau, e, para seguir a tradição italiana, o Vin Santo da Toscana possui aromas de frutos secos e mel que harmonizam perfeitamente com o Tiramisù. Boa pedida, não é?

Quando eu fizer, volto aqui comparando as duas receitas: a original sem álcool e a do chef famoso!

Mão na massa, pois o confinamento permite criar muitas coisas gostosas na cozinha!

Comentários

Popular Posts

Restaurante Cais da Villa

  O cais mais chique 'da' Vila...Real.  Depois de 4 anos morando aqui, sempre tinha ouvido falar sobre esse restaurante, entretanto, a vida de estudante não permitia o investimento financeiro aos comes e bebes do estabelecimento.  Sim, Vila Real é movida pela Universidade. São mais de 7.000 novos alunos que chegam anualmente para estudarem aqui. Durante a pandemia, virou uma cidade fantasma. Sem praxes e festas acadêmicas, sem agito, sem nada.  Todavia, eu tenho que admitir, os universitários sacodem tudo e levantam a poeira. Portanto, o público-alvo do Cais da Villa não é voltado para eles. É realmente um restaurante caro para o interior do Norte de Portugal. Talvez se estivesse em uma cidade mais cosmopolita e turística como Lisboa, Porto, Coimbra ... daria para entender, mas em VR?  Enfim, eu fui! O Cais da Villa está situado na estação ferroviária, em um antigo edifício histórico com mais de 100 anos: "Neste espaço de ambiente informal funciona o restaurante à carta,

É Beef Wellington, Boeuf en Croute ou Steig Wellington?

A cultura gastronômica do bife mais famoso Esses dias eu, sem querer, vi um vídeo do chef francês Claude Troisgros no qual ele ensinava um adolescente a fazer o Bife Wellington. Claro que eu assisti o passo a passo todo e o meu apetite abriu na hora! Mas uma curiosidade surgiu: por que esse prato recebe o nome de Wellington? Quem foi Wellington? O que ele fez? É uma figura importante? E lá fui eu matar a minha curiosidade. Origem do prato Arthur Wellesley, primeiro duque de Wellington Para início de conversa, ou leitura, a origem do prato é incerta e não se sabe se é francesa, inglesa ou irlandesa. P ude encontrar um melhor aprofundamento informativo em The Food Timeline , além de receitas datadas em ordem cronológica através de uma linha do tempo e várias versões que recebem o mesmo nome. Tudo indica que existe uma contenção histórica a respeito da origem do Bife Wellington, entretanto, os historiadores apontam que o nome foi dado em homenagem a Arthur Wellesley, primeiro duque de We

Você sabe por que o Crepe recebeu o nome de Suzette?

Curiosidades da cultura gastronômica Uma das coisas que mais atiça a minha curiosidade é saber porque os pratos recebem nomes próprios. É muito comum ver ruas com nomes de pessoas que fizeram diferença e foram importantes para a cidade, mas na gastronomia muitos dos "batismos" não são por causa do chef que inventou tal prato e muito se deve à situação ou momento que foi criado. Esse delicioso crepe aponta algumas versões, entretanto todas são interessantes.  Primeiro de tudo: o que é Crêpe Suzette? É uma sobremesa. Considerada uma panqueca bem leve e fininha que é servida dobrada em um molho de laranja, limão (alguns colocam), açúcar e manteiga com licor de laranja ou conhaque e flambada à mesa. A receita original usa o Licor de Curaçao (de laranja amarga) e, posteriormente, o licor Grand Marnier foi adotado à receita que também é um licor de laranja feito de conhaque Cognac. Origem incerta... Versão 1:  Tudo indica que foi em 1896, no Café de Paris em Monte Carlo, pelo chef