Pular para o conteúdo principal

Halloween, Samhain e Todos os Santos: qual a relação?

 

qual a relação?

O famoso 31 de Outubro

Todo mundo sabe que hoje, 31 de outubro, é celebrado o Halloween, o Dia das Bruxas (após a leitura, aceito os parabéns nos comentários!). Mas você sabia que sua origem vem de um antigo festival celta chamado Samhain?

O que é Samhain?


A pronúncia da palavra é SOW-EN, e vem do gaélico Samhuin.

Samhain ocorre entre o Equinócio de Outono e o Solstício de Inverno, significando o 'fim do verão', celebrando o fim da colheita e o início da metade mais fria do ano. Também é o início de um ano novo espiritual e é o festival dos mortos, aliás, essa associação com os mortos e a morte representa os ciclos da natureza. Ou seja: semeou, cresceu, colheu e morreu. Esse é o período em que a vegetação morre novamente com as geadas e o clima frio e, com isso, "a morte está no ar".

Para os celtas, desde a antiguidade, é em Samhain que as portas entre os planos físico e espiritual se abrem para que seus ancestrais falecidos se comuniquem com os descendentes na terra. É o momento de encerrar o luto para aqueles que perderam seus entes queridos no ano anterior. 

As celebrações

Originário da Europa antiga como um festival do Fogo Celta, atualmente, o Samhain é celebrado em todo o mundo. Entretanto o momento das celebrações contemporâneas pode variar de acordo com a localização geográfica e a tradição espiritual:

  • Alguns comemoram ao longo de vários dias e noites, incluindo uma série de ritos solitários ou coletivos, por exemplo: cerimônias, festas e reuniões com a família, amigos e comunidade espiritual. 
  • No hemisfério norte, a partir do pôr do sol de 31 de outubro a 1 de novembro. 
  • Outros realizam no fim de semana mais próximo da Lua Cheia ou da Lua Nova nesta época. 
  • Alguns pagãos observam o Samhain um pouco mais tarde, próximo a 6 de novembro, coincidindo com o ponto médio astronômico entre o Equinócio de Outono e o Solstício de Inverno. 
  • No hemisfério sul, ocorre no final de abril e início de maio, meio do outono, ao invés do tradicional tempo europeu durante o feriado.

A relação com o Cristianismo

Com o crescimento e a disseminação do Cristianismo como religião dominante em toda a Europa, os líderes da igreja reformularam o Samhain como uma celebração cristã. No século IX, o Papa Gregório declarou que o Dia de Todos os Santos seria em 1º de novembro  e comemoraria os santos e mártires cristãos. O Dia de Finados em 2 de novembro seria uma lembrança para todas as almas dos mortos. 

Com a ida dos cristãos espanhóis ao México, os costumes indígenas de homenagear os mortos se misturaram ao catolicismo romano e deram origem ao Dia de los Muertos, no início de novembro. 

 


 

Missa All Hallow 

Os pagãos locais já estavam celebrando aquele dia de qualquer maneira, então fazia sentido usá-lo como um feriado da igreja. O Dia de Todos os Santos se tornou uma data comemorativa para homenagear qualquer santo que ainda não tivesse um dia para si. 

A missa que foi celebrada em Todos os Santos foi chamada de Allhallowmas, a missa de todos aqueles que são santificados. A noite anterior naturalmente se tornou conhecida como All Hallow's Eve, e eventualmente se transformou no que chamamos de Halloween.

O Halloween

É celebrado no dia 31 de outubro e a palavra é uma abreviação de All Hallow's Eve. Embora ocorra na mesma época do ano e tenha raízes nas celebrações do fim da colheita do passado antigo, o Halloween e o Samhain não são o mesmo, mas são dois feriados que diferem consideravelmente em foco e prática. 

Halloween continha muitas práticas pagãs tradicionais antes de ser levado para a América no século XIX. Atualmente, tanto na América quanto em outros lugares, o Halloween é um feriado folclórico secular. 

Além disso, a festividade evoluiu para ser um feriado infantil voltado para a família, bem como uma ocasião para as pessoas de todas as idades se expressarem criativamente e se envolverem em brincadeiras através de fantasias, doces ou travessuras, narrativa, encenação, pegadinhas, visitas assustadoras a lugares e festas.

 


 

Doces ou Travessuras?

Durante algumas celebrações celtas do Samhain, os aldeões se disfarçavam em trajes feitos de peles de animais para afastar visitantes fantasmas; mesas com comidas eram preparadas e deixadas para fora para também afastar os espíritos indesejáveis.

Nos séculos posteriores, as pessoas começaram a se vestir como fantasmas, demônios e outras criaturas malévolas, fazendo palhaçadas em troca de comida e bebida. Esse costume, conhecido como mumming, remonta à Idade Média e é considerado um antecedente das doçuras ou travessuras.

As travessuras medievais, com as raízes do Cristianismo: as famílias ricas recebiam as visitas de pessoas pobres com doces conhecidos como bolos da alma. Em troca, os visitantes prometiam rezar pelas almas dos familiares falecidos dos anfitriões. Conhecida como souling, a prática foi posteriormente adotada por crianças, que iam de porta em porta pedindo comida, dinheiro e cerveja.

Na Escócia e na Irlanda, os jovens se fantasiavam e ao baterem à porta das famílias, cantavam uma música ou recitavam um poema ou contavam uma piada ou faziam algum tipo de “truque” antes de receberem as 'guloseimas', que normalmente eram frutas, nozes ou moedas.



Nos Estados Unidos, início do século XIX, os imigrantes que fugiram da fome da batata irlandesa contribuíram para popularizar a festividade. Já no início do século XX, as comunidades europeias reviveram as tradições do souling. A partir de 1920, a festividade caiu na graça dos jovens rebeldes, transformando o Halloween em vandalismo, agressões físicas e violência durante a Grande Depressão americana.

Na década de 30 e com a II Guerra Mundial, houve o racionamento do açúcar e poucos doces para distribuir. Depois da guerra, as travessuras e gostosuras voltaram com força total entre as crianças e as empresas de doces viram a possibilidade de lucrarem muito mais com campanhas publicitárias totalmente voltadas para o Halloween.  

Embora não se saiba exatamente onde e quando a frase “Trick or Treat" foi inventada, o costume foi firmemente estabelecido na cultura popular americana em 1951, quando a frase foi inserida nos quadrinhos de Peanuts. Em 1952, a Disney produziu um desenho animado chamado “Trick or Treat” com o Pato Donald e seus sobrinhos Huey, Dewey e Louie.

As travessuras de Halloween também têm uma tradição no Samhain, embora na antiga celebração os truques fossem normalmente atribuídos às fadas. 

A origem irlandesa de Jack O'Lantern

A temporada de Halloween é marcada com abóboras esculpidas com rostos macabros e iluminados por velas.

Conhecida como Jack O'Lantern, ou Jack da Lanterna, essa prática de decoração teve origem na Irlanda. Inicialmente, era feita com nabos e batatas, mas como a abóbora era um produto nativo e abundante na América, logo se tornou parte da festividade de Halloween.

Tal nome veio de um conto popular irlandês sobre um homem chamado Stingy Jack (traduzido para o português, Mesquinho Jack):

De acordo com a história, Stingy Jack convidou o Diabo para tomar uma bebida com ele. Stingy Jack não queria pagar, então ele convenceu o Diabo a se transformar em uma moeda para que Jack pudesse comprar suas bebidas. Assim que o Diabo fez isso, Jack decidiu guardar o dinheiro no bolso ao lado de uma cruz de prata, impedindo o Diabo de voltar à sua forma original.

Jack finalmente libertou o Diabo, sob a condição de que ele não o incomodaria por um ano e que, caso Jack morresse, ele não reclamaria sua alma. No ano seguinte, Jack novamente enganou o Diabo para que subisse em uma árvore para colher uma fruta. Enquanto ele estava na árvore, Jack fez um sinal da cruz na casca da árvore para impedir a descida do Diabo. Ele só desceria se prometesse que não o incomodaria por mais dez anos.

 


 

Logo depois, Jack morreu. Segundo a lenda, Deus não permitiria que uma figura tão desagradável entrasse no céu. O Diabo, chateado com o truque e mantendo sua palavra de não reivindicar sua alma, não permitiria que Jack fosse para o inferno. O Diabo o enviou para a noite escura com apenas um carvão em chamas para iluminar o caminho. Jack colocou o carvão em um nabo esculpido e tem vagado pela Terra desde então. Os irlandeses começaram a se referir a essa figura fantasmagórica como 'Jack da Lanterna' ou, simplesmente, 'Jack O'Lantern'.

Para afastar os espíritos malignos, inclusive Stingy Jack, irlandeses e escoceses faziam suas próprias versões das lanternas de Jack esculpindo rostos assustadores em nabos ou batatas e colocando-os nas janelas ou perto de portas.

Os ingleses adotaram as beterrabas grandes. Os imigrantes europeus nos Estados Unidos descobriram que as abóboras eram perfeitas para as tais lanternas de Jack.

O ano novo das bruxas

O pôr do sol no Samhain é o início do Ano Novo celta. O ano velho passou, a colheita foi feita, gado e ovelhas foram levados dos campos e as folhas caíram das árvores. A terra lentamente começa a morrer ao nosso redor.

Este é um bom momento para pensarmos em se desfazer do velho e nos preparar para o novo em nossas vidas. Pense nas coisas que você fez nos últimos doze meses. Você deixou alguma coisa sem solução? Em caso afirmativo, agora é a hora de encerrar as coisas. As roupas que não usa mais, doe. Jogue fora os papéis que não tem mais importância, abra espaço nas gavetas. Depois de limpar todas as coisas inacabadas de sua vida, você pode começar a olhar para o próximo ano.

Gastronomia

Não vou falar das incríveis ideias de preparar a festa de Hallowen. Nada de embalagens imitando fantasmas, vassouras ou abóboras. Fui atrás de receitas típicas irlandesas que são preparadas para a celebração de Samhain.

Uma das comidas mais populares servidas com este festival é Barm Brack ou Barmbrack. Tempos atrás, este seria um pão/bolo com frutas e outros pequenos objetos para ajudar a prever o próximo ano. Como assim? É isso mesmo. Cada pessoa tinha que escolher a peça com cuidado. Por exemplo:

  • Achar um anel dentro do pão, significava verdadeiro amor e casamento;
  • Um dedal, que a pessoa nunca se casaria; 
  • Um trapo ou pedaço de um tecido qualquer, pobreza;
  • Uma moeda, riqueza. 
Hoje os supermercados vendem o pão, mas o único charme que poderá encontrar é apenas o anel.

Tradicionalmente, a comida sazonal teve um grande papel em Samhain, já que o dia é o final de outubro e início de novembro, então o alimento já tinha sido colhido e guardado, por isso, fartura e abundância na despensa. 

No entanto, quando Samhain eventualmente ficou conhecido como Dia de Todos os Santos, comer carne não era permitido, então a comida tornou-se algo vegetariano.

Segue algumas sugestões (clique nas imagens para ir diretamente às receitas - estão em inglês):

Boxty - Bolo irlandês de batata redondo e achatado.

 
Beef and Guinness Pie - Torta de carne com cerveja.
 
gastronomia

  Colcannon - batatas amassadas com repolho, couve galega e cebolinha. Costuma ser servido como acompanhamento.

gastronomia

 Soda Bread - O onipresente pão servido de Norte a Sul da Irlanda.

gastronomia 

Irish Stew - Ensopado favorito dos irlandeses e confeccionado com cordeiro de nível internacional.

gastronomia

 Barmbrack - Pão/bolo com frutas contendo amuletos para prever o futuro de quem os encontra.

gastronomia

 

Todo mundo pode celebrar o Samhain

Ledo engano quem pensa que só os pagãos podem celebrar Samhain. Há diversas maneiras para isso e são muito simples, espia:

  • Caminhada pela natureza: faça uma caminhada meditativa em uma área natural perto de sua casa. Pode ser um parque! Observe e contemple as cores, aromas, sons e outras sensações da estação. Experimente a si mesmo como parte do Círculo da Vida e reflita sobre a morte e o renascimento como uma parte importante da Natureza. Se o local que você visita permitir, reúna alguns objetos naturais e na volta use-os para enfeitar sua casa.
  • Reflexões: reflita sobre você e sua vida no ano passado. Revise jornais, planejadores, fotografias, blogs e outras anotações que você criou durante o ano passado. Considere como você cresceu, suas realizações, desafios, aventuras, viagens e aprendizados. Meditar. Faça um diário sobre o ano em que foi revisado, sua meditação e suas reflexões.
  •  Renovar. Selecione uma área de sua casa ou vida como foco. Examine. Reorganize-o. Libere o que não é mais necessário. Crie um padrão melhor. Comemore a renovação e a transformação.
 

  • Altar dos ancestrais. reúna fotos, relíquias de família e outras lembranças de familiares falecidos, amigos e criaturas companheiras, como animais de estimação. Disponha-as em uma mesa junto com várias velas votivas. Acenda as velas em sua memória enquanto você diz seus nomes, expresse seus desejos de boa sorte e agradeça a eles por fazerem parte de sua vida. Sente-se calmamente e preste atenção ao que você experiencia. Se quiser, anote todas as mensagens que você receber. Este Altar dos Ancestrais pode ser criado apenas para o Samhain.
  • Histórias de ancestrais: saiba sobre a história da família. Entre em contato com parentes mais velhos e peça-lhes que compartilhem memórias de parentes falecidos. Registre-os de alguma forma e compartilhe o que você aprendeu e escreveu com outro membro da família ou amigo. Adicione os nomes das pessoas sobre as quais você aprendeu e deseja homenagear ao Altar de seus antepassados.
  • Visita ao cemitério: visite o túmulo de um ente querido em um cemitério. Lembre-se de memórias e considere as maneiras pelas quais a pessoa amada continua a viver dentro de você. Coloque ali uma oferenda, como flores frescas, ervas secas ou o que tiver vontade.

Em contraste... 

Samhain compartilha a antiga prática espiritual de lembrar e prestar homenagem aos mortos com esses feriados religiosos relacionados ao Cristianismo. 

Mesmo que as celebrações possam incluir festas, a homenagem aos Mortos, que é central para o Samhain, é uma prática religiosa séria e benevolente, em vez de uma reconstituição alegre e fictícia. 

Os ritos pagãos não envolvem sacrifícios humanos ou de animais. A maioria dos rituais do Samhain é realizada em particular, e não em público.

 

🌛🌕🌜 Agora eu aceito os parabéns!!! 🎃🎃🎃

Fontes: Learn ReligionCircle Sanctuary; History; The Spruce Eats. As fontes das imagens estão nas mesmas.

Comentários

Popular Posts

Restaurante Cais da Villa

  O cais mais chique 'da' Vila...Real.  Depois de 4 anos morando aqui, sempre tinha ouvido falar sobre esse restaurante, entretanto, a vida de estudante não permitia o investimento financeiro aos comes e bebes do estabelecimento.  Sim, Vila Real é movida pela Universidade. São mais de 7.000 novos alunos que chegam anualmente para estudarem aqui. Durante a pandemia, virou uma cidade fantasma. Sem praxes e festas acadêmicas, sem agito, sem nada.  Todavia, eu tenho que admitir, os universitários sacodem tudo e levantam a poeira. Portanto, o público-alvo do Cais da Villa não é voltado para eles. É realmente um restaurante caro para o interior do Norte de Portugal. Talvez se estivesse em uma cidade mais cosmopolita e turística como Lisboa, Porto, Coimbra ... daria para entender, mas em VR?  Enfim, eu fui! O Cais da Villa está situado na estação ferroviária, em um antigo edifício histórico com mais de 100 anos: "Neste espaço de ambiente informal funciona o restaurante à carta,

É Beef Wellington, Boeuf en Croute ou Steig Wellington?

A cultura gastronômica do bife mais famoso Esses dias eu, sem querer, vi um vídeo do chef francês Claude Troisgros no qual ele ensinava um adolescente a fazer o Bife Wellington. Claro que eu assisti o passo a passo todo e o meu apetite abriu na hora! Mas uma curiosidade surgiu: por que esse prato recebe o nome de Wellington? Quem foi Wellington? O que ele fez? É uma figura importante? E lá fui eu matar a minha curiosidade. Origem do prato Arthur Wellesley, primeiro duque de Wellington Para início de conversa, ou leitura, a origem do prato é incerta e não se sabe se é francesa, inglesa ou irlandesa. P ude encontrar um melhor aprofundamento informativo em The Food Timeline , além de receitas datadas em ordem cronológica através de uma linha do tempo e várias versões que recebem o mesmo nome. Tudo indica que existe uma contenção histórica a respeito da origem do Bife Wellington, entretanto, os historiadores apontam que o nome foi dado em homenagem a Arthur Wellesley, primeiro duque de We

Você sabe por que o Crepe recebeu o nome de Suzette?

Curiosidades da cultura gastronômica Uma das coisas que mais atiça a minha curiosidade é saber porque os pratos recebem nomes próprios. É muito comum ver ruas com nomes de pessoas que fizeram diferença e foram importantes para a cidade, mas na gastronomia muitos dos "batismos" não são por causa do chef que inventou tal prato e muito se deve à situação ou momento que foi criado. Esse delicioso crepe aponta algumas versões, entretanto todas são interessantes.  Primeiro de tudo: o que é Crêpe Suzette? É uma sobremesa. Considerada uma panqueca bem leve e fininha que é servida dobrada em um molho de laranja, limão (alguns colocam), açúcar e manteiga com licor de laranja ou conhaque e flambada à mesa. A receita original usa o Licor de Curaçao (de laranja amarga) e, posteriormente, o licor Grand Marnier foi adotado à receita que também é um licor de laranja feito de conhaque Cognac. Origem incerta... Versão 1:  Tudo indica que foi em 1896, no Café de Paris em Monte Carlo, pelo chef