Pular para o conteúdo principal

Saint Patrick's Day ou Dia de São Patrício

 

Saint Patrick's Day
Fonte: Greater Seattle on the Cheap

Todo mundo sabe que Saint Patrick

ou São Patrício é o santo padroeiro da Irlanda e seu dia é comemorado em 17 de março.

Talvez você não saiba a origem, as tradições e a gastronomia que envolve essa celebração americana, ops, irlandesa (te deixei com a pulga atrás da orelha, não é? Continue lendo e saberá de tudo!).

Quem foi Patrick?

Não se sabe ao certo onde ele nasceu ou Escócia ou Grã-Bretanha, mas era uma região onde havia o antigo império romano, em 385 d.C..

Aos 16 anos, sua casa foi invadida por irlandeses e ele foi sequestrado, junto com outros jovens, e levado para Irlanda. Como escravo, trabalhou pastoreando ovelhas e gados na Montanha Slemish (localizada na parte norte do país).

Ele ficou nesse "trabalho" durante 6 anos e só conseguiu manter as esperanças e a fé de que tudo iria melhorar através de muitas orações.

"(...) O amor de Deus cresceu cada vez mais em mim, assim como a fé, minha alma foi despertada ... rezei na floresta e na montanha, mesmo antes do amanhecer. Eu não senti nenhuma mágoa da neve ou do gelo ou da chuva. (...)" (tradução nossa).

Um belo dia seu anjo da guarda se materializou para Patrick e o orientou para voltar para casa. Só assim ele conseguiu estar com sua família, escapando do cativeiro e do trabalho escravo com a ajuda do anjo.

Saint Patrick's Day
Fonte: Aleteia.org - Saint Patrick ou São Patrício

Missão

Alguns anos depois, o anjo novamente apareceu em sonho e lhe disse que Deus o chamava para uma missão: voltar à Irlanda para pregar o evangelho ao povo pagão. E assim, Patrick foi estudar o catolicismo em Gália (hoje, França). Só depois que ele foi nomeado bispo é que ele foi para a Irlanda cumprir o chamado.

Foi uma tarefa muito árdua, pois foi perseguido, preso e sofreu várias tentativas de assassinato pelos irlandeses pagãos. Contudo, ele conseguiu passar o evangelho viajando pelo país e muitas pessoas foram convertidas para a fé em Cristo. E foi assim durante 30 anos: pregando a palavra e ajudando os necessitados.

Patrick faleceu em 17 de março de 461. Algumas pesquisas apontam que a igreja católica o reconheceu como santo e definiu o seu dia, o dia de sua morte. Já outras apontam que Patrick foi reconhecido como santo por aclamação popular e nunca foi canonizado pela igreja.

Milagres

Conversão do povo pagão para povo cristão: 

Muitos irlandeses já praticavam os rituais pagãos antes de Patrick chegar ao país. Eles não entendiam como Deus poderia ser espírito em 3 partes da Santíssima Trindade (em nome do Pai, Deus, do Filho,Jesus Cristo, e do Espírito Santo). 

Foi aí que ele teve a ideia de usar o trevo típico irlandês, o Shamrock, como exemplo: da mesma maneira que o trevo possui o caule e 3 folhas (os de 4 eram exceção), Deus era o espírito que se apresentava em 3 maneiras.

Batismo:

O batismo ocorria em poços de água e entre várias pessoas que foram batizadas por Patrick, algumas se tornaram freiras e padres.

Orando por comida:

O navio que Patrick viajava atracou na Grã-Bretanha. Em terra, os marinheiros disseram que a região em que eles estavam não provinha alimento suficiente para todos. Patrick orou por comida e milagrosamente um rebanho de porcos apareceu. Os marinheiros abateram os animais e tiveram comida suficiente para seguirem à outra região.

A ressurreição

The Life and Acts of Saint Patrick: he Archbishop, Primate and Apostle of Ireland é um livro do século XII, no qual o monge Jocelin conta o seguinte:

"trinta e três homens mortos, alguns dos quais foram enterrados por muitos anos, este grande os ressuscitou dos mortos" (tradução nossa).

Há relatos históricos que contam os milagres da ressurreição e que foram testemunhados por pessoas que começaram acreditar na palavra evangelizada de Patrick.

Tradições

Antes de contar sobre as tradições, quero explicar o motivo da emigração de irlandeses para os Estados Unidos e que muito explica as celebrações que conhecemos hoje, ok?

A Irlanda na América

Até, mais ou menos, metade do século XIX, os imigrantes irlandeses que lá estavam faziam parte da classe média protestante. Entretanto, quando a Irlanda foi atingida pela Fome da Batata em 1845, em torno de um milhão de irlandeses pobres (e sem estudo) emigraram para os Estados Unidos fugindo da fome.

Eles foram desprezados pelo seu sotaque, suas crenças religiosas e não conseguiam se adaptar à nova realidade, pois até os empregos medianos lhes foram negados. 

A celebração pública dos irlandeses em St. Patrick's Day, foi retratata através de desenhos como macacos bêbados e violentos pelos jornais locais.

De acordo com o History,

"os irlandeses americanos perceberam que seus grandes e crescentes números os dotavam de poder político que ainda não havia sido explorado. Eles se organizaram e seu bloco de votação, conhecido como "máquina verde", tornou-se relevante para os candidatos políticos. De repente, os desfiles de St. Patrick's Day não só ganharam força para os irlandeses americanos, como também um evento imperdível para muitos candidatos políticos" (tradução nossa).

O presidente Harry S. Truman, em 1948, participou do desfile em Nova York. Foi um momento de orgulho para os irlandeses americanos uma vez que, para serem aceitos no Novo Mundo, seus ascendentes tiveram que lutar contra preconceitos raciais, estereótipos e xenofobia. 

Saint Patrick's Day
Fonte: History - Cartão postal

A 1ª celebração de St. Patrick's Day

Como eu disse logo no começo desse artigo, a celebração não começou na Irlanda e sim, nos Estados Unidos. 

Diferentemente da celebração americana, 17 de março era mais um dia sagrado do que feriado para os irlandeses. O St. Patrick's Day era um momento religioso desde 1631 para homenagear o aniversário da morte de Patrick: culto na igreja para os católicos na parte da manhã e modesta celebração à tarde. E foi assim por muitos séculos!

O historiador Michael Francis encontrou registros de que tiros de canhões foram usados para homenagear o santo em 1600 em uma colônia espanhola na Flórida. Em 17 de março do ano seguinte, um vigário irlandês, Ricardo Artur, organizou o 1º desfile com os moradores dessa colônia.

Saint Patrick's Day
Fonte: History - desfile de St. Patricks Day

Um século depois...

Parece que em Boston, na mesma data, mas em 1737, os emigrantes do norte irlandês formaram uma sociedade de caridade, a Charitable Irish Society, para ajudar os irlandeses angustiados e para homenagear o santo. Tudo indica que eles ainda realizam um jantar todos os anos para comemorar o St. Patrick's Day. 

Em 17 de março de 1772, os soldados irlandeses que serviam o exército inglês, saudosos de sua terra natal, marcharam nas ruas nova-iorquinas para homenagear St. Patrick. 

De acordo com o historiador Mike McCormack, o sentimento patriota irlandês desabrochou entre os imigrantes americanos, principalmente na década seguinte da Fome da Batata. 

Eles não tinham mais o seu país, mas sim, as memórias e a identidade, motivo suficiente para saírem às ruas nos desfiles de St. Patrick's Day e celebrar por serem irlandeses.

A partir daí as celebrações só aumentaram!

Saint Patrick's Day
Fontes: Good House Keeping/National Geographic - Desfile de St. Patrick's Day

As sociedades irlandesas cresceram e seus desfiles anuais eram realizados com gaitas de fole e tambores (aliás, as gaitas foram popularizadas por causa dos exércitos escocês e britânico). Em 1848, todas as sociedades irlandesas uniram seus desfiles para formar o desfile oficial de St. Patrick's Day em Nova York.

Por mais que a celebração tenha evoluído para todas as etnias nos Estados Unidos durante o século XX, na Irlanda se manteve solene. Por muitas décadas, as leis irlandesas proibiram a abertura de bares em dias sagrados e 17 de março era um deles.

Em 1952, o jornal Connaught Telegraph relatou que o "St. Patrick's Day na Irlanda foi muito parecido com qualquer outro dia, só que mais 'maçante'"

Em 1961, o Royal Dublin Dog Show foi o único lugar permitido para tomar uma bebida no dia de St. Patrick's Day, entretanto, só atraiu pessoas com interesses caninos (Afffff, fala sério!!!).

São realizados mais de 100 desfiles em St. Patrick's Day por toda América. Nova York e Boston estão as maiores celebrações! 

"A atmosfera da festa só se espalhou para a Irlanda após a chegada da televisão quando os irlandeses puderam ver toda a diversão que estava ocorrendo além do oceano. A Irlanda moderna absorveu a sugestão da América. O St. Patrick's Day Festival foi lançado em Dublin em 1996 não só a favor do turismo como também para que todos conhecessem as tradições culturais do país. O festival atrai um milhão de pessoas por ano" (History - tradução nossa).

Atualmente, o desfile em Nova York é o desfile civil mais antigo do mundo e o maior dos Estados Unidos - são mais de 150.000 participantes. Por volta de 3 milhões de pessoas comparecem para ver o desfile, cuja duração possui mais de 5 horas (Wow, hein?!). 

Savannah, Filadélfia, Chicago e Boston possuem entre 10.000 a 20.000 participantes em seus desfiles.

O rio verde

A prática de tingir o rio Chicago de verde, em Chicago, começou em 1962 e sabe como?

Para controlar a poluição da cidade, os trabalhadores com o intuito de rastrear descargas ilegais de esgoto, usaram um produto na água do rio, espécie de um corante, deixando-a verde. Então perceberam que esta seria uma maneira original para celebrar o feriado.

Com isso, o rio recebeu 100 quilos de corante vegetal para mantê-lo verde durante uma semana. Atualmente, pensando na ecologia e consequência ambiental, são usados 40 quilos de corante para mantê-lo verde por algumas horas.

Saint Patrick's Day
Fonte: Curbed Chicago - Chicago River St. Patrick's Day

Mas há controvérsias, claro!

Os cidadãos de Savannah, na Geórgia, alegam que a ideia é deles. 

Em 1961, Tom Woolley, gerente de um restaurante, convenceu os seus funcionários a tingir o rio da cidade de verde por causa do feriado. Não deu certo o experimento e a água ficou levemente esverdeada. 

Contudo, parece que o próprio gerente foi quem sugeriu a ideia para Richard J. Daley, o prefeito de Chicago.

As festividades alinhadas pela a bússola

Saint Patrick's Day
Fontes: El Universal - Anjo da Independência/Tourism Ireland Pinterest - Pirâmides/TheJournal.ie - Cristo Redentor/Departament of Foreign Affairs - Opera House

Saint Patrick's Day
Fontes: TheJournal.ie - The Lion Monument e Coliseu/BBC News - Fonte de Cibeles e A Fonte da Ponte do Nilo

As celebrações ocorrem em todos os países de língua inglesa. Além dos Estados Unidos e Irlanda, há festividades na Ilha de Montserrat, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Japão, Noruega, Cingapura, Inglaterra, Rússia...

Saint Patrick's Day
Fontes: TheJournal.ie - Museu Condes de Castro, Disney Castle e Grande Muralha/Irish Mirror - Grote Kirk ou Igreja de São Tiago

Saint Patrick's Day
Fonte: National Geographic - London Eye, A mais alta roda gigante da Europa/TheJournal.ie - Cataratas do Niágara/TravelNews.ch - Cataratas do Reno

Sem contar que diversos monumentos famosos do mundo se tornam verdes para homenagear a data e os irlandeses, por exemplo: o Cristo Redentor, Rio de janeiro - Brasil; as Pirâmides do Egito; a Torre de Pisa, Itália; a Ópera House, Sydney - Austrália; Cataratas do Niágara, Canadá, London Eye, Londres - Inglaterra; entre outros.

Lepre... o quê? 

Leprechauns são os Duendes do St. Patrick's Day. O duende é um ícone do feriado irlandês, contudo, é uma figura do seu folclore com o nome original de "lobaircin", que significa "companheiro de corpo pequeno".

Saint Patrick's Day
Fonte: Mitoselendas.com.br - Leprechaun ou duende de St. Patrick's Day

Sua crença é derivada dos celtas que acreditavam em fadas, homens e mulheres bem pequenos que possuíam poderes mágicos a favor do bem ou do mal. Diz o folclore que esses duendes consertavam os sapatos das fadas e tinham um peculiar mau-humor. 

Além disso, os Leprechauns gostavam de pregar peças, cheios de artimanhas e eram conhecidos por protegerem seus potes de tesouro.

Afogando o trevo

O trevo de três folhas, o shamrock, ainda é um símbolo de boa sorte. Mas para ampliar essa boa sorte, na Irlanda é tradição "afogar" o trevo na bebida. Ou seja, há muitos anos, o trevo era mergulhado num copo de uísque. Depois que ele estivesse no fundo do copo, era jogado sobre o ombro esquerdo do bebedor para dar sorte.

Saint Patrick's Day
Fontes: Better Drink Culture - Shamrock afogado/Country Living - Bebidas de St. Patrick's Day

Manter-se sóbrio

Geralmente a celebração coincide durante a Quaresma, que significa um período de sacrifício religioso. Como você já leu acima, por ser um feriado santo, os bares irlandeses eram fechados e com isso, respeitando o dia santo, não havia o consumo de álcool.

Claro que não é desculpa usar o St. Patrick's Day para relaxar e exagerar na bebida. Mas o consumo de álcool é extremamente abusivo no Canadá, Estados Unidos e Austrália. 

A bebida preferida do evento é a Guinness que é originalmente irlandesa, sendo a cerveja Guinness Stout a principal de todas. Sua produção se mantém na Cervejaria St. Jame's Gate, em Dublin.

Parece que existe um movimento na Irlanda para desassociar o St. Patrick's Day e os irlandeses com a bebida. A intenção é fazer os desfiles "sóbrios" (Será?).

Verde da cabeça aos pés

Segundo pesquisas, antes da Rebelião Irlandesa em 1798, a cor predominante na corte real e nas antigas bandeiras irlandesas era a azul.

Os soldados irlandeses decidiram usar vestes verdes para contrastar com as vestes vermelhas dos britânicos e, durante a rebelião contra Grã-Bretanha, eles cantavam a música The Wearing of the Green, consolidando a relevância da cor para o nacionalismo irlandês. O país se tornou independente em 1922.

As 3 cores da bandeira é cheia de representação: o verde representa os católicos e a paisagem exuberante; o laranja representa os protestantes e o branco, a paz entre eles.

Leprechauns BELISCAM!

Vestir verde da cabeça aos pés em St. Patrick's Day significa sorte. A lenda diz que os duendes, Leprechauns, não conseguem enxergar quem está vestindo verde. No entanto, quem não estiver de verde, os duendes castigam com um beliscão.
 
E assim a tradição se manteve entre os humanos: você pode beliscar qualquer pessoa que estiver vestindo outra cor (Hummm, é uma deixa para as paqueras!!!). Entretanto, ao que tudo indica, é que este não seja um costume irlandês, e sim, uma invenção americana. Nos contos, os Leprechauns originais são descritos com vestes vermelhas, e não verdes.   

Saint Patrick's Day
Fontes: USA Today News/Country Living - Beijo da sorte St. Patrick's Day

"Kiss Me I'm Irish"

Ah! (Para vocês verem o lance da paquera): em St. Patricks's Day, se você usar uma camiseta com a seguinte frase "Kiss Me I'm Irish", qualquer que seja a sua nacionalidade, significa boa sorte para as pessoas que beijam.
 
Mas de onde vem isso? Existe um ditado que diz que beijar alguém irlandês é praticamente a melhor coisa depois de beijar a pedra no Castelo de Blarney. Segundo a lenda, beijar a pedra lhe dará o poder do discurso eloquente e persuasivo (Será? Tô indo agora para esse castelo!!!).

A gastronomia típica

Irish Soda Bread - Deixe o Diabo Sair!

Saint Patrick's Day
Fonte: Australia Reader's Digest - Irish Soda Bread St. Patrick's Day
 
Diz a lenda que esse pão traz sorte porque antes de colocá-lo no forno, é necessário fazer uma cruz no topo do pão com uma faca. 
 
Nas tradições celtas (cristã e pagã), é através desse corte que 
  • o vapor sai durante o cozimento, 
  • o diabo sai e vai embora e 
  • garante a proteção da casa.  
Contudo, não era todo mundo que tinha forno para assar o pão naquela época, então eles adaptavam com uma panela de ferro fundido sobre a chama do fogo.

Hoje há muitas variações da receita que é preparada com ovos, uvas passas, sementes, manteiga e açúcar. No entanto, a receita original inclui farinha (integral na maioria das vezes), bicarbonato de sódio (não era um costume até o final de 1800 e os irlandeses usavam uma soda para fermentar o pão), leite de manteiga (buttermilk ou leitelho) e sal.

Mas, Roberta, e a carne?

Na Irlanda gaélica, o gado era símbolo dos ricos e só eram abatidos quando muito velhos ou incapazes de produzir leite. Além disso, não podia matar vacas porque chamava o azar, uma vez que eram animais reprodutores e o leite era aproveitado para os laticínios. 
 
Havia mais quantidade de porcos do que bois e vacas na Irlanda e por isso que, em St. Patrick's Day, a carne de porco curada era a mais consumida. No entanto, a tal carne enlatada não é coisa da tradição irlandesa. É novamente americana, e... 

Como surgiu a tradição da carne enlatada em St. Patrikc's Day?

Os irlandeses que chegaram aos Estados Unidos por causa da Fome da Batata, eram pobres e discriminados. Eles começaram a consumir carne enlatada de açougueiros e de judeus vizinhos.
 
Essa carne, além de ser barata, era cozida com repolho, nabos ou batatas. O historiador McCormack conta que essa refeição era consumida pelos irlandeses americanos que viviam na periferia da baixa Manhattan, pois eles compravam as sobras dos navios que voltavam do comércio de chá da China:  
"Era a carne mais barata que conseguiam encontrar e os irlandeses americanos ferviam a carne três vezes, a última vez com repolho, para remover um pouco da salmoura" (tradução nossa).
Saint Patrick's Day
Fonte: The Spruce Eats - Corned Beef and Cabbage St. Patrick's Day

Então, para fechar o artigo com chave de ouro, e não deixá-lo mais extenso do que já está (eu sei, realmente me empolgo ... minha área é cultura!), partilho aqui essa receita de corned beef (em inglês) com vocês.

 

Aproveitando que a Páscoa está chegando, deixo uma dica de leitura: Mas afinal... A Páscoa é de origem pagã, judaica ou cristã?

 

🍺🍀Happy Saint Patrick's Day!!! 🍺🍀

Comentários

Popular Posts

Restaurante Cais da Villa

  O cais mais chique 'da' Vila...Real.  Depois de 4 anos morando aqui, sempre tinha ouvido falar sobre esse restaurante, entretanto, a vida de estudante não permitia o investimento financeiro aos comes e bebes do estabelecimento.  Sim, Vila Real é movida pela Universidade. São mais de 7.000 novos alunos que chegam anualmente para estudarem aqui. Durante a pandemia, virou uma cidade fantasma. Sem praxes e festas acadêmicas, sem agito, sem nada.  Todavia, eu tenho que admitir, os universitários sacodem tudo e levantam a poeira. Portanto, o público-alvo do Cais da Villa não é voltado para eles. É realmente um restaurante caro para o interior do Norte de Portugal. Talvez se estivesse em uma cidade mais cosmopolita e turística como Lisboa, Porto, Coimbra ... daria para entender, mas em VR?  Enfim, eu fui! O Cais da Villa está situado na estação ferroviária, em um antigo edifício histórico com mais de 100 anos: "Neste espaço de ambiente informal funciona o restaurante à carta,

É Beef Wellington, Boeuf en Croute ou Steig Wellington?

A cultura gastronômica do bife mais famoso Esses dias eu, sem querer, vi um vídeo do chef francês Claude Troisgros no qual ele ensinava um adolescente a fazer o Bife Wellington. Claro que eu assisti o passo a passo todo e o meu apetite abriu na hora! Mas uma curiosidade surgiu: por que esse prato recebe o nome de Wellington? Quem foi Wellington? O que ele fez? É uma figura importante? E lá fui eu matar a minha curiosidade. Origem do prato Arthur Wellesley, primeiro duque de Wellington Para início de conversa, ou leitura, a origem do prato é incerta e não se sabe se é francesa, inglesa ou irlandesa. P ude encontrar um melhor aprofundamento informativo em The Food Timeline , além de receitas datadas em ordem cronológica através de uma linha do tempo e várias versões que recebem o mesmo nome. Tudo indica que existe uma contenção histórica a respeito da origem do Bife Wellington, entretanto, os historiadores apontam que o nome foi dado em homenagem a Arthur Wellesley, primeiro duque de We

Você sabe por que o Crepe recebeu o nome de Suzette?

Curiosidades da cultura gastronômica Uma das coisas que mais atiça a minha curiosidade é saber porque os pratos recebem nomes próprios. É muito comum ver ruas com nomes de pessoas que fizeram diferença e foram importantes para a cidade, mas na gastronomia muitos dos "batismos" não são por causa do chef que inventou tal prato e muito se deve à situação ou momento que foi criado. Esse delicioso crepe aponta algumas versões, entretanto todas são interessantes.  Primeiro de tudo: o que é Crêpe Suzette? É uma sobremesa. Considerada uma panqueca bem leve e fininha que é servida dobrada em um molho de laranja, limão (alguns colocam), açúcar e manteiga com licor de laranja ou conhaque e flambada à mesa. A receita original usa o Licor de Curaçao (de laranja amarga) e, posteriormente, o licor Grand Marnier foi adotado à receita que também é um licor de laranja feito de conhaque Cognac. Origem incerta... Versão 1:  Tudo indica que foi em 1896, no Café de Paris em Monte Carlo, pelo chef